Caixa faz parceria com a Visa para desenvolver seu braço de cartões

Mais do que enfrentar a Mastercard, a Visa quer ser vista com uma fonte de soluções para bancos, varejistas e fintechs em geral

Visa compra a Plaid
Foto: ShutterStock
Read in english
  • Na prática, a Visa é a segunda bandeira de cartões a trabalhar com a Caixa;
  • Por meio da parceria, a rede de cartões norte-americana terá acesso a cerca de 30% da base de clientes do banco público.

Segundo a coluna Broadcast, do jornal O Estado de S.Paulo, o banco público brasileiro Caixa Econômica Federal acaba de fechar a primeira parceria de seu braço de cartões, com a norte-americana Visa. De acordo com o jornal, da mesma forma que vem fazendo na área de seguros, o banco público está estruturando uma holding de negócios de meios de pagamentos para depois levá-la para a bolsa de valor.

LEIA TAMBÉM: BC já tem marca e data para sistema de pagamentos instantâneos

Na prática, a Visa é a segunda bandeira de cartões a trabalhar com a Caixa. Por meio da parceria, a rede de cartões norte-americana terá acesso a cerca de 30% da base de clientes do banco público–os outros 70% têm de, obrigatoriamente, ter cartões da Elo, rede da qual a Caixa é sócio, em conjunto com Bradesco e Banco do Brasil.

LEIA TAMBÉM: Uber faz parceria com EBANX no Brasil para carregar créditos no Uber Cash

Em 2019, segundo balanço divulgado nesta semana, a Caixa terminou o ano com uma base de 109,3 milhões de cartões, que geraram o equivalente a quase R$ 211 bilhões em volume financeiro no ano passado.

Ainda segundo o jornal, a Visa teria pagado caro pela parceria, algo na casa dos bilhões. Na área de seguros, por exemplo, a Caixa garantiu R$ 9,5 bilhões para os próximos anos com as parcerias firmadas.

A parceria faria sentido para a Visa, que teria perdido espaço no mercado brasileiro a partir de 2016. Mais do enfrentar a Mastercard, no entanto, a empresa já disse várias vezes que queria ser vista como uma fonte de soluções de pagamento por instituições, fintechs e empresas em geral. A parceria com a Caixa pode ser um sinal de que o plano deu certo.