Tecnologia

iFood cria fundo de R$ 1 milhão para dar assistência a entregadores com coronavirus

A ajuda vale para tanto para quem tiver COVID-19 como para quem precisar ficar de quarentena

Read in english
  • A ONG Ação da Cidadania será a responsável por gerir o fundo;
  • Outros detalhes ainda serão definidos na próxima semana.

startup de delivery iFood anunciou neste sábado a criação de um fundo de R$ 1 milhão para ajudar os entregadores que pararem em razão do coronavirus. A ajuda vale para tanto para quem tiver COVID-19 como para quem precisar ficar de quarentena.

LEIA TAMBÉM: CVM dará mais prazo para IPO’s já autorizados

A notícia foi revelada por Diego Barreto, diretor financeiro da startup, com exclusividade ao jornalista Bruno Capelas, do jornal O Estado de S.Paulo. A ONG Ação da Cidadania será a responsável por gerir o fundo.

“Após demonstrar por atestado médico ou via telemedicina que está com sintomas, o entregador vai receber alimentos ou uma quantia, para sua subsistência alimentar e a de sua família, com ajuda da ONG, durante 14 dias”, explicou Barreto ao jornal.

LEIA TAMBÉM: Gol volta atrás em proposta de incorporação da Smiles

Com o aumento da quantidade de empresas tomando medidas preventivas como o trabalho remoto, e escolas suspendendo as aulas, é esperado que a demanda por entregas aumente nos próximos dias, deixando também os entregadores mais expostos ao vírus.

O Brasil é o país latino-americano com o maior número de casos confirmados até o momento: 98. A região inteira já possui mais de 250 casos confirmados, e as autoridades de saúde esperam que esse número aumente bastante nos próximos dias.

Outros detalhes ainda serão definidos na próxima semana.

Ainda na sexta-feira (13), a chinesa Didi Chuxing, dona da 99, anunciou que vai colocar US$ 10 milhões à disposição de seus motoristas e entregadores em todo o mundo