Negócios

Companhias aéreas da América Latina durariam meses em cenário extremo

JP Morgan projetou a viabilidade comercial das companhias aéreas no pior cenário possível

Latam, a maior companhia aérea da região, sobreviveria por 4 meses. Foto: Shutterstock
Read in english
  • O cenário extremo é altamente improvável, porque as companhias aéreas provavelmente negociarão melhores condições nos contratos de leasing;
  • Os países também estão planejando programas de resgate para a indústria.

Países e territórios ao redor do mundo impuseram restrições de viagens para conter a propagação do coronavírus. Os danos causados ​​às companhias aéreas são praticamente neste momento incalculáveis, mas à medida que a pandemia avança há um sentimento crescente de que algumas empresas podem não sobreviver à crise.

O JP Morgan publicou um relatório drástico sobre a viabilidade comercial das companhias aéreas em um cenário em que 100% dos voos são suspensos. Segundo o La Republica, nessa situação extrema, as empresas latino-americanas poderiam sobreviver entre 3 e 10 meses. O jornal colombiano cita a revisão de liquidez realizada pelos analistas do banco de investimento Fernando Abdalla e Guilherme Mendes, divulgada inicialmente pela Bloomberg.

Leia também: Cobertura do CORONAVIRUS no LABS

Esse cenário extremo, no entanto, é altamente improvável, mas os cortes de capacidade devem ser “maciços”.

“O colapso na demanda de viagens aéreas provocada por severas restrições de viagens e o receio dos viajantes em voar têm o potencial de remodelar a aviação global com mais intensidade do que os eventos de 11 de setembro”, disse Jamie Baker, analista de companhias aéreas e leasing de aeronaves do JP Morgan.

As companhias aéreas esperam renegociar melhores condições de pagamento em seus contratos de leasing de aeronaves, e o relatório aponta que é “muito provável” que as empresas possam obter bons termos ou adiar todos os pagamentos por meses.

Na pior das hipóteses, sem voos, as companhias aéreas poderiam durar:

  • Avianca (Colômbia): 3 meses
  • Latam Airlines (Chile / Brasil): 4 meses
  • Gol (Brasil): 5 meses
  • Azul (Brasil): 6 meses
  • Copa (Panamá) : 10 meses