Economia

Senado muda valor do saque do FGTS e impacto na economia pode maior

O saque imediato passa dos R$ 500 por conta previstos no texto do Executivo para até R$ 998

cédulas de Real
Read in english
  • Ainda em agosto, a consultoria LCA tinha estimado que a medida, junto com o saque habitual do PIS/Pasep, poderia movimentar R$ 40 bilhões entre 2019 e 2020;
  • E ter um impacto no PIB de até 0.5 ponto percentual.

O Senado aprovou na terça-feira (12) mudanças na medida provisória (MP 889/2019) que cria novas modalidades de saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O saque imediato passa dos R$ 500 por conta previstos no texto do Executivo para até R$ 998, desde que o trabalhador tenha esse valor em conta. As informações são do Estadão.

Com isso, o impacto da medida pode ser ainda maior que o estimado. Ainda em agosto, a consultoria LCA tinha estimado que a medida, junto com o saque habitual do PIS/Pasep, poderia movimentar R$ 40 bilhões entre 2019 e 2020 e ter um impacto no PIB de até 0.5 ponto percentual.

Na mesma ocasião, a Instituição de Fiscalização Independente (IFI), entidade ligada ao Senado, estimou que o impacto poderia chegar a até 0.85 ponto percentual.

Como o calendário de saques começou ainda em setembro, se Bolsonaro sancionar o texto com as mudanças, quem já sacou os R$ 500 e se enquadrar na condição do salário mínimo poderá sacar os outros R$ 498.

O saque-aniversário, modalidade diferente da primeira, entrará em vigor apenas em 2020. Neste caso, o trabalhador poderá retirar parte do FGTS todos os anos, no mês do seu aniversário (5% a 50% do saldo), segundo a tabela abaixo.