Facebook Icon Twitter icon Linkedin icon
Negócios

Projeções do FMI: como o cenário econômico pode afetar seu negócio em 2019.

Entenda quais são as expectativas do FMI em relação aos principais países da América Latina para os próximos anos.

Enviar por e-mail

O Fundo Monetário Internacional publicou no último semestre um relatório apontando as projeções de crescimento da economia global, incluindo previsões positivas em relação aos países latino-americanos, mesmo com a revisão nos números realizada alguns meses depois.

Detalhamos as informações mais importantes deste relatório e as principais tendências que você não pode perder para 2019.

Em linhas gerais, as previsões do FMI apresentam bons indicadores, principalmente para o Chile, Peru e Colômbia. E existem ainda mais boas notícias para os colombianos, o país manteve a estimativa de crescimento de 2.7% mesmo após a revisão das projeções realizada pela instituição.

De fato, a região apresenta bons indicadores de crescimento com previsões positivas para 2019 e também para os próximos anos. Os especialistas da Americas Market Intelligence estimam que para o ano de 2023, a região não só apresentará crescimento, mas também pode igualar-se ao mercado do leste asiático. Além disso, a agência também pontuou que a América Latina está experimentando uma recuperação estável e constante. A previsão é de que até 2021, os países latino-americanos terão recuperado o USD 1 trilhão do PIB perdidos nos anos 2015/2016, o que, de acordo com a agência, significa a retomada da confiança dos investidores.

Ainda assim, pela instabilidade política de alguns países da América Latina e avaliando o cenário de confronto comercial entre Estados Unidos e China, o FMI reduziu as projeções da região, mas a boa notícia é que o corte não foi significativo em termos gerais, considerando que a estimativa agora fala em 2.6%, apenas 0.2% menos do que o previsto no primeiro relatório.

Previsões por país

Brasil

No relatório original, o FMI declarou que “seguindo a profunda recessão do ciclo 2015-2016, a economia brasileira voltou a crescer em 2017 (1%) e as expectivas são para que melhore 2.3% em 2018 e 2.5% em 2019 a partir do consumo privado e investimentos”. A partir da revisão, a instituição apontou que a recuperação da economia brasileira está avançando, mesmo que de forma mais moderada, reduzindo o projetado anterior de 2.3% para 1.8%, mas ainda assim mantendo a previsão de 2.5% em 2019.

Sobre isso, a Americas Market Intelligence também afirma que os índices positivos não devem se restringir ao período até 2019, em 2020 o crescimento deve ser de 2.7%. Para a agência, a recepção positiva de investidores a notícia da eleição de Bolsonaro à presidência é um bom indicativo para o futuro do país. E se quiser explorar a fundo o tema, confira esse artigo com a opinião de especialistas sobre o novo governo do Brasil.

México

O México está experimentando um ritmo diferente de recuperação pelas “incertezas sobre as relações comerciais com os Estados Unidos”, afirmou o FMI. Mesmo assim, o Fundo Monetario Internacional manteve a previsão de expansão de 2.3% neste ano.

A instituição ressaltou que, mesmo com o cenário indefinido da economia mexicana, em 2018 o país vem avançando apoiado a um forte crescimento dos Estados Unidos. “No México, a implementação de certos aspectos da ampla agenda de reformas aprovada há 5 anos tem evoluído bem, incluindo os setores de energia, finanças e telecomunicações”, aponta o relatório. Em relação a previsão para 2019, a instituição reduziu ligeiramente (0.3%) a sua previsão para o país, de 3% para 2.7%.

Colômbia

A Colômbia é um dos países em que a taxa de crescimento manteve-se inalterada: o FMI determinou as estimativas em 2.7% para este ano, 3.3% para 2019 e 3.5% em 2023.

A recuperação econômica da Colômbia passou por um período de estagnação pela incerteza eleitoral, mas as políticas de investimentos do presidente recém-eleito, Iván Duque, devem atrair mais investidores, é o que sinaliza a Americas Market Intelligence (AMI).

Argentina

Mesmo que o FMI tenha rebaixado a expectativa de crescimento da Argentina, a instituição ressaltou de maneira positiva a estimativa de “recuperação gradual” até 2019 e 2020 “que se apoiará na recomposição da confiança com um programa de estabilização que tem o suporte do FMI”.

Sobre este tema, AMI também inclui que, mesmo que o país experimente uma redução econômica em 2018, a previsão é de que em 2019 a Argentina alcance 2% e continue crescendo, chegando a uma evolução de 3.5% em 2020.

As boas estimativas baseiam-se sobretudo na confiança de que as estratégias do FMI farão com que o mercado e investidores acalmem-se. Os especialistas da AMI ainda sinalizam que o presidente Macri deverá manter-se firme para conquistar a provável reeleição em 2019, o que é interpretado como um indicador positivo sob a prespectiva econômica.

Chile

Um dos países com o melhor cenário no relatório do FMI, sem dúvidas, é o Chile. O FMI revisou progrssivamente as projeções para o país em 2018, que passaram de 3% para 3.4% em abril e mais uma vez para 4% na mais recente revisão.

Em 2019, a estimativa também foi elevada, chegando a 3.4% e 3.2% em 2020, o que também foi validado pelos estudos da AMI.

Peru

Na mais recente revisão, o FMI elevou sua projeção de crescimento para o Peru de 3.7% para 4.1% com o que concorda a AMI, reforçando as previsões positivas para o país em 2019 e 2020. Segundo a agência, o Peru deve alcançar nestes anos um crescimento de 3.9% e 3.8%, respectivamente.

Como será a dinâmica a nível mundial

A instituição liderada por Christine Lagarde estimou um crescimento de 0.2 pontos percentuais a nível global. A motivação principal para este cenário é o recente conflito comercial entre as duas maiores potências econômicas do século XXI: Estados Unidos e China. O FMI modificou as projeções de crescimento que anteriormente eram de 3.9% para 3.7% para 2018 e 2019.

Segundo o jornal chileno El Mercurio, o presidente do banco central da China declarou-se como vítima da agresiva política comercial norte-americana. A decisão de Washington de rejeitar a política exterior da China e com ela sua estratégia econômica internacional, é uma resposta ao poder que o país asiático começa a exercer a nível mundial.

Ainda que o FMI tenha previsto que as taxas de crescimento dos Estados Unidos serão reduzidas de 2.7% para 2.5% e as da China de 6.4% para 6.2% em 2019, é importante levar em consideração que as decisões tomadas pelo país norte-americano para consolidar-se na liderança mundial possivelmente terão consequências.

De forma geral, é importante ficar atento em qual será o desfecho das relações entre esses países para que em breve tenhamos tenhamos uma visão mais clara de como estas movimentações na economia mundial podem afetar a América Latina.

As previsões da AMI para EEUU revelam que a valorização do dólar, o crescimento dos empregos e salários seguirão fortes, incentivando as economias latino-americanas diretamente relacionadas.

Como você pode aproveitar esse ambiente econômico para fazer com que o seu negócio cresça

Se você tem um e-commerce ou uma agência de turismo, não pode ficar desatualizado em relação a estas movimentações econômicas internacionais. Na verdade, se você quiser que o seu negócio tenha projeções positivas, o primeiro passo é conhecer o cenário econômico.

No mundo, tudo é uma questão de causa e efeito. Ter uma empresa em um cenário econômico instável significa que o poder aquisitivo dos seus clientes também sofrerá variações, por isso, suas estratégias também precisam focar em como vender para o seu público-alvo.

Se, por exemplo, antes sua empresa vendia mais pacotes turísticos com destino a Europa, oferecer pacotes para destinos na América Latina pode ser uma boa oportunidade nesse momento.

Vale ressaltar também que, segundo a AMI, ainda que a América Latina enfente algumas instabilidades, os consumidores de países como Colômbia, México, Peru, Chile e Brasil vivem um momento positivo em relação ao consumo, o que demonstra que sua confiança em seus países vem evoluindo.

5 pontos-chave para o sucesso a partir das projeções do FMI

Steve Jobs afirmou “estou convencido de que pelo menos a metade do que separa os empreendedores bem sucedidos dos que não são, é mera perseverancia”. Como líder do seu negócio, a sua principal missão é confiar em você e manter o seu negócio ativo e para isso você precisará:

  1. Ser otimista, a América Latina é uma região em ritmo acelerado de crescimento;
  2. Continue inovando. Manter as suas estratégias à frente do mercado será essencial em 2019. Tenha um site bem otimizado (rápido, legível e dinâmico) facilite a vida dos seus clientes (pagamentos online), entre outros aspectos importantes.
  3. Ofereça o melhor serviço de atendimento ao cliente possível, esta é a chave para o sucesso no mundo dos negócios.
  4. Não tenha medo do poder das redes sociais. Aproxime-se do seu público, entenda seu comportamento e crie relacionamento.
  5. Mantenha-se atualizado em relação as dinâmicas econômicas mundiais.

As projeções estão aí e de forma geral, a América Latina entra em seu terceiro ano gradual de recuperação com boas perspectivas de crescimento e investimento para o futuro. Desde já, você pode começar a tirar proveito das estimativas e começar a traçar suas estratégias.

Você também pode gostar