Facebook Icon Twitter icon Linkedin icon
Negócios

EBANX no StartupNation – Esqueça a Europa: Entenda por que Startups Online deveriam expandir primeiro para a América Latina

O CEO do EBANX, Alphonse Voigt, fala sobre as razão que novos negócios online têm para investir na América Latina como primeiro destino para uma expansão internacional. Leia a matéria completa!

Enviar por email para ler depois

*Este artigo foi traduzido do original em inglês, publicado no site StartupNation.

Muitos empreendedores sonham com um negócio global e fazer do sonho realidade não é mais um movimento restrito a grandes corporações. Hoje, os empreendedores têm mais oportunidades do que nunca para expandirem para além dos oceanos depois do sucesso em seus países natais, ou até mesmo de começarem um negócio global deste o primeiro dia.

Dessa forma, a maior pergunta sobre como conduzir negócios internacionais não é mais como fazer, mas sim onde investir. Tradicionalmente, a Europa tem sido a “primeira e melhor opção para a maioria das companhias”, como explica a Index Venture’s Dominic Jacquesson. Mas para fundadores de empresas digitais, eu defendo que na verdade a América Latina tem muito mais a oferecer.

A América Latina é um grupo jovem de mercados poderosos

A Europa tem mais de 50 países e concentra uma população com aproximadamente 750 milhões de pessoas, com a União Europeia sozinha representando 28 países e 500 milhões de pessoas. Por outro lado, a América Latina e o Caribe reúnem 33 países com cerca de 650 milhões de habitantes – mais do que a União Europeia e não tão longe de toda a Europa.

Vender_Globalmente_Labs Fonte: ShutterStock

Com certeza, o poder de compra dos latino-americanos ainda não alcança os índices da Europa. Mas a vantagem é que (com exceção do Brasil) a população fala quase exclusivamente um só idioma: o espanhol. Como apenas na União Europeia existem 24 idiomas oficiais, os empresários podem enfrentar um desafio bem mais difícil para atingir o mesmo número de consumidores do que eles precisariam enfrentar na América Latina.

Em outras palavras, o que a América Latina pode perder em termos de poder de compra, é compensado pelo volume de consumidores que compartilham o mesmo idioma.

 

Isso simplifica os esforços de marketing e reduz o número de adequações de produto necessárias para cada país. Além disso, enquanto os países da América Latina tornam-se mais desenvolvidos, os consumidores tendem a gastar mais.

Como um todo, a América Latina foi recentemente rotulada como a líder mundial em crescimento de e-commerces.

 

E ainda tem mais, 2 dos 3 mercados de e-commerce com o crescimento mais acelerado estão localizados na América Latina: Colômbia e Argentina. Sem falar que o Brasil já está entre o top 10 mercados mundiais de e-commerce.

A classe média está crescendo e a demanda está seguindo no mesmo passo

A demanda na América Latina está crescendo rápido pela expansão da classe média que dobrou de tamanho na última década. Com esse crescimento, mais consumidores estão vivendo com mais poder de compra do que nunca. Chile, Panamá e Argentina, por exemplo, não ficam muito atrás de países europeus como Polônia, Hungria e Letônia em termos de PIB per capita. E com o tempo, a região tem potencial para alcançar também outros países da Europa.

Indo além, os latino-americanos estão equilibrando o aumento do seu poder de compra simultaneamente com o aumento do acesso a internet. Em 2016, estimava-se que existissem 120 milhões de compradores online na América Latina, representando 42.6% de todos os usuários de internet da região. Em 2019, esse número deve saltar para 150 milhões e 45%, respectivamente. Ainda, o maior mercado da região, Brasil, está equiparado com a União Europeia: 66.4% dos usuários de internet compraram online em 2017, comparado com 68% na União Europeia.

A tendência das compras online está sendo impulsionada pelo fato de que, em muitos casos, os latino-americanos conseguem encontrar opções mais baratas na internet do que em lojas locais. Além disso, a população da região também tende a gostar de consumir produtos e cultura estrangeira, incluindo música, televisão, moda e muito mais.

Assim, pessoas de toda a América Latina estão empolgadas com a possibilidade de comprar online e estão adotando o comportamento com vigor, principalmente usando smartphones, a taxa de mobile e-commerce está aumentando duas vezes mais rápido do que a taxa de e-commerce em dispositivos tradicionais na região.

Dessa forma, os empresários podem facilmente se alinhar a essas necessidades e capturar a demanda dessa população recentemente conectada.

Existe menos saturação de mercado e competição na América Latina

Na Europa, os consumidores possuem várias opções quando estão realizando uma compra. Na América Latina, esse não é o caso. Muitos consumidores confiam em e-commerces para trazerem produtos de fora do país.

Na verdade, considerando as compras online realizadas na região em 2016, 44% eram importadas com quase 60% desses importados vindo da América do Norte. Em relação a porcentagens, os consumidores online da América Latina fazem mais compras exclusivamente de outros países do que em qualquer outra parte do mundo.

Isso aponta para o fato de que existem menos recursos locais que possam satisfazer as necessidades dos consumidores latino-americanos. Em outras palavras, existem amplas oportunidades para empreendedores estrangeiros entrarem nesse mercado como pioneiros e permanecerem no topo por muito tempo. Por exemplo, o Aliexpress fez exatamente isso, e rapidamente se tornou o maior e-commerce internacional no Brasil.

Os consumidores estão pedindo acesso a produtos e serviços que estão sendo oferecidos em outras partes do mundo e na maioria das vezes, suas necessidades ainda continuam desconhecidas. Essa é exatamente a razão pela qual empresários têm oportunidades tão amplas na região.

Seu negócio pode se beneficiar com diferenças climáticas

Como um bônus para empreendedores dos Estados Unidos ou outros países do hemisfério norte é que eles podem ter vantagens com as diferentes sazonalidades.

No Brasil e em muitos outros países da América do Sul, os períodos de verão e inverno são opostos aos dos Estados Unidos. Isso significa, por exemplo, que os alunos voltam às aulas em fevereiro, não em agosto como acontece por lá.

Além do fato de que os empresários precisam ter isso em mente para suas campanhas de marketing, isso também significa uma oportunidade de potencializar suas vendas de produtos sazonais restantes no estoque. Para um negócio de moda, as roupas de banho que não foram vendidas em julho podem ter uma nova oportunidade de serem agarradas para o período de praias de dezembro. Para negócios de e-learning e turismo também podem encontrar grandes oportunidades para vendar em períodos de tradicionais baixas.

Sim, existem desafios. Mas também soluções.

Sem dúvidas, administrar um negócio na América Latina traz a tona vários desafios:

“Apesar dessas estatísticas impressionantes, os e-commerces encaram muitos desafios na América Latina, incluindo a segurança de pagamentos online, desbancarização e sérios problemas logísticos de acordo com Patricia Galina, do IEBS”, escreveu Miriam C. Down em um artigo para a Focus Economics.

Mas enquanto os cenários políticos e econômicos na América Latina podem ser difíceis, não são impeditivos para o sucesso de startups online. A chave para superar esses desafios está em confiar em uma rede de parceiros locais.

Por exemplo, para combater os problemas com pagamentos, parceiros locais, como o EBANX, podem fornecer aos empreendedores a tecnologia e o suporte que eles precisam para conhecer os métodos de pagamento preferidos dos consumidores. Existem outros parceiros especializados também em solucionar as questões de logística e reduzir custos. E as diferenças de cultura e linguagem podem ser resolvidas trabalhando com companhias locais de marketing para criar uma comunicação personalizada que converse com os usuários específicos daquele país.

Com todos os pontos considerados, os empreendedores de e-commerces seriam espertos se optassem por considerar a América Latina como primeiro destino ao expandirem internacionalmente. O mercado ainda é jovem, mas a oportunidade já está lá. Enquanto você pode considerar mais fácil expandir para a Europa, você pode encontrar mais sucesso na América Latina.

Afinal, desde quando alguma coisa boa veio de um jeito fácil?

*Este artigo foi traduzido do original em inglês, publicado no site StartupNation.

Ebook_ecommerce_america_latina_labs
Baixe o e-book agora!

Soluções para os desafios de expandir para a América Latina!

Leave your comment

* *

0 Responses

You might also like