Facebook Icon Twitter icon Linkedin icon
Negócios

Argentina é a nova aposta da fintech brasileira Nubank

Com 6 anos de existência, startup segue firme em sua estratégia de expansão na América Latina

Enviar por e-mail
Foto: Nubank
  • Nubank já levantou $400 milhões em aporte de investidores como Tencent Holdings Ltd
  • O primeiro mercado alvo da expansão foi o México, anunciado em maio

Nove milhões de consumidores, um valuation de 3.6 bilhões de dólares na última rodada de investimentos e a conquista de ser uma das maiores emissoras de cartões no Brasil, a maior economia da América Latina. A fintech brasileira Nubank está trilhando um caminho acelerado de crescimento e dá início a um novo capítulo na sua estratégia de expansão que já tem um novo alvo: a Argentina.

Depois de anunciar a expansão para o México no mês passado, a fintech mira agora em um país sul-americano sob a direção de Rafael Soto, ex CEO do app argentino de gerenciamento financeiro Ualá.

“Nós temos planos para expandir para outros países da América Latina também”, revela a co-founder do Nubank, Cristina Junqueira, em entrevista à Bloomberg. De acordo com a empresária, a meta da fintech é ter 300 funcionários na Argentina até o final de 2020 e o escritório será também utilizado como um hub de tecnologia  para apoiar outras iniciativas da empresa na América Latina.

Há alguns dias, a Bloomberg publicou uma nota a respeito de conversas iniciais que estariam em andamento entre o grupo Softbank e o Nubank sobre uma possível negociação na qual o grupo japonês estaria interessado em adquirir uma fatia da fintech brasileira. Ainda que as cifras exatas não tenham sido anunciadas até então, a Vox informou que o Nubank tem o objetivo de se tornar uma das fintechs mais valiosas do mundo, buscando um valuation entre $8 e $10 bilhões.

Com investimento de grandes empresas de venture capital como Tencent Holdings Ltd, Sequoia Capital, Tiger Global Management and Kaszek Ventures, o Nubank ainda não decidiu qual será a primeira solução a ser lançada no país – mas com um histórico de sucesso até agora, o futuro da startup na Argentina certamente soa promissor.

Você também pode gostar