Facebook Icon Twitter icon Linkedin icon
Importadores

Importar da China: tudo sobre taxas e impostos

Enviar por email para ler depois

Trazer produtos da China para revender no Brasil acaba sendo um ótimo negócio para muita gente. Seja para uso pessoal ou para revender por aqui, os produtos chineses têm preços extremamente competitivos e, ainda por cima, ótima qualidade.

Mas o que muitas vezes bate na trave para quem está pensando em começar importações e ainda não tem experiência, é a noção de quantidade de taxas e impostos que podem incidir numa encomenda quando ela entra no Brasil.

Apesar de parecer complicado, dá para deixar o processo muito simples, acredite. E aqui o objetivo é explicar ao máximo possível o que envolve uma importação da China para o Brasil.

Onde comprar bons produtos da China

Apesar de grande parte dos produtos chineses terem uma ótima relação custo x benefício, é sempre importante fazer uma seleção de bons fornecedores de lá. Aliás, esse é o primeiro passo para importar da China: comprar com fabricantes sérios.

Como estamos do outro lado do mundo, essa tarefa pode ser um pouco árdua. Ainda mais quando falamos de microimportadores, que não têm uma estrutura comercial como a de médias e grandes empresas.

Pensando nisso, a primeira dica que a gente traz aqui hoje é contar com a plataforma Alibaba em português. Ela é super direcionada para pequenos comerciantes que querem importar da China e revender no Brasil.

Além de toda em português, você negocia a quantidade e o preço direto com o fornecedor e, no final, ainda pode emitir um boleto em real para pagar. Sem complicações e sem conversões de moedas ou a surpresa da variação cambial na fatura do cartão de crédito no final do mês.

A gente já fez um post falando um pouco mais sobre isso aqui.

Compra feita, preciso pagar mais alguma coisa?

Sim e não! Depende. Depois que você fizer sua compra no Alibaba é preciso ficar atento a um detalhe: qual é o valor da sua compra?

Se a transação (produto + frete + seguro) fechar em um valor abaixo de 500 dólares, a sua encomenda pode ser enviada ao Brasil da forma mais simples possível com as opções de envio disponíveis no Alibaba.

Encargos para importar
Como se tornar um importador legalizado?

Mas quais as taxas alfandegárias do Brasil? Vamos lá: Quando sua compra chegar aqui, ela pode (ou não) ser taxada com o Imposto de Importação na Receita Federal. O valor fica, geralmente, em até 60% do valor da compra, mas vai depender muito da quantidade de pacotes com os quais seu produto está entrando no país. Muitas vezes ele acaba nem gerando encargos.

É assim também com o chamado despacho postal, uma taxa de R$ 15 implantada recentemente pelos Correios para todos os pacotes que vêm de fora do Brasil – existem relatos de várias pessoas que não foram cobradas.

E para compras acima de 500 dólares?

Quando a sua encomenda (produto + frete + seguro) ficar na faixa de US$ 501 a US$ 3,000, também é possível deixar o processo bem simplificado. Neste caso, porém, você precisa contratar um despachante aduaneiro para poder concluir o processo de entrada no país.

A taxa do despachante aduaneiro varia de despachante para despachante e vai depender de quem você contratar para efetuar o serviço. Se estiver afim de facilitar e agilizar o processo, a dica é contar com serviços de transportadoras como o Importa Fácil dos Correios. Você paga uma taxa de desembaraço aduaneiro de R$ 250,00 por encomenda e pronto.

A gente fez um post bem detalhado sobre isso, que você pode ver aqui.

Mas, além do despachante aduaneiro, você também vai gastar em outros tributos. Existem dois impostos que devem ser pagos nesta faixa de importação: o Imposto de Importação (aquele que comentamos antes) e, em alguns casos, o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

Como a importação de valores de até 3.000 dólares não precisa ter registro no RADAR do Siscomex (Sistema Integrado de Comércio Exterior), elas podem ser feitas também com o serviço de couriers.

A vantagem é que este tipo de método de importação para compras de até 3.000 dólares pode ser feito tanto por pessoas físicas (CPF) como por pessoas jurídicas (CNPJ). Quem é MEI também pode contar com o benefício, o que ajuda muito para quem é microimportador e quer comprar na China para revender no Brasil.

E para compras acima de 3.000 dólares?

Estes são casos que precisam ser analisados com calma, pois exigem o registro no RADAR e as encomendas, com quase toda a certeza, vão ter incidência de uns 8 impostos pelo menos.

Além do Imposto de Importação e ICMS existem outros como o Imposto sobre Produto Industrializado (IPI), PIS – Importação, COFINS – Importação, ISS, IOF e o AFRMM (Adicional de Frete para Renovação da Marinha Mercante). O custo mínimo de tudo isso chega a 5.000 reais, mas depende do produto, quantidade e outros detalhes.

O frete para trazer encomendas acima de 3.000 dólares também é mais complexo, com o valor chegando perto de 10.000 reais.

Então, a compra tem que valer a pena realmente. Nessa faixa de valores as empresas (grandes e médias) geralmente aproveitam o frete para trazer MUITA coisa.

Mas, calma! Repetindo:

Se você é MICROIMPORTADOR e quiser comprar produtos da China para revender no Brasil, não se preocupe! As compras de até 3.000 dólares podem ser importadas facilmente com serviços disponíveis nos Correios e em transportadoras como DHL e Fedex.

A recomendação é sempre facilitar a vida ao máximo e aproveitar os custos x benefícios de comprar produtos com qualidade e preços justos na China.

Leave your comment

* *

You might also like