Facebook Icon Twitter icon Linkedin icon
Importadores

Importar da China: qual a melhor forma de frete?

Enviar por email para ler depois

Que comprar na China é muito mais barato que no Brasil você já deve saber, né? Principalmente para os microimportadores que querem revender produtos por aqui. Importar acaba sendo uma solução para trazer produtos de qualidade a um preço justo e ainda por cima ampliar a margem de lucro final.

Mesmo com tantos benefícios, uma das coisas que mais pode dar dor de cabeça na hora de importar da China é o frete. As dúvidas sempre aparecem: como trazer minhas encomendas do outro lado do mundo para o Brasil? Existe uma forma de frete mais recomendada? Consigo importar sem ser taxado?

É bom começar dizendo que, claro, existem várias formas de importar produtos da China. As grandes empresas, que importam muita coisa e com alto valor de transação, geralmente contratam contêineres exclusivos e contam com especialistas só para cuidar do transporte. Por baixo, esse tipo de envio (só o envio) pode custar 3.000 dólares. Fora isso, para compras grandes acima de 3.000 dólares ainda é preciso ter registro no RADAR, do Sistema Integrado de Comércio Exterior, e pagar uma série de impostos.

Como a nossa realidade é outra, e não temos um time de profissionais para cuidar do trânsito das compras, o foco aqui é explicar uma das melhores maneiras de trazer produtos comprados na China para o Brasil para quem é microimportador.

O primeiro passo

Bom. Antes de se preocupar como suas encomendas vão chegar aqui é preciso ter atenção em como selecionar e comprar com os melhores fornecedores chineses. Pode parecer fácil, mas tem muita gente que não se planeja e não consegue nem concluir a compra direito.

A dica que costumamos dar para quem ainda está em dúvidas é contar com a praticidade do Alibaba: site com 20 anos de mercado que tem o “simples” objetivo de conectar fabricantes chineses com compradores de outras partes do mundo.

No Alibaba, por exemplo, os fornecedores são verificados constantemente. Há uma equipe própria para realizar visitas nas fábricas e sedes, atestando a transparência daqueles que estão cadastrados como vendedores na plataforma.

E como a intenção é encontrar a melhor ponte entre China e Brasil, o Alibaba facilita muito a vida dos brasileiros: dá para comprar com boleto e ainda pagar em real.

Quais são os tipos de frete mais comuns?

Depois de encontrar os melhores fornecedores lá no Alibaba, o próximo passo é entender qual é o tamanho da importação que você está querendo trazer da China. Isso vai impactar diretamente no tipo de frete que você vai contratar.

Quando a sua compra (produtos + frete + seguro) tiver um valor até 3.000 dólares, ela pode ser enviada ao Brasil utilizando métodos de fretes muito menos complexos que aqueles utilizados por mega empresas que importam milhões da China.

Basicamente, quando a importação total não passa de 3 mil dólares, dá para encontrar dois tipos de fretes praticados pelos fabricantes chineses: os serviços postais e as remessas expressas.

Independentemente da escolha, essas duas opções são normalmente enviadas por avião lá da China e deixam as entregas mais ágeis e simplificadas. E sim: dá para pedir grandes quantidades com qualquer um desses fretes.

Serviços postais ou remessas expressas?

A grande diferença entre as entregas por serviços postais e remessas expressas são o preço (óbvio), o tempo de entrega e o cuidado com as suas encomendas.

Os serviços postais normalmente são os fretes padrões oferecidos pelos sites de produtos chineses. Alguns, inclusive, são oferecidos de forma gratuita. O prazo de entregas varia, mas fica na média de 40 a 60 dias e o envio é feito respeitando a logística das companhias de correio da China.

Do outro lado temos as remessas expressas, que são feitas por aquelas empresas tipo courier. DHL e Fedex, por exemplo, são algumas das mais famosas. Esse tipo de transporte tem um prazo de entrega muito atrativo em comparação com os serviços postais, já que as compras podem chegar ao Brasil na média dos 7 dias úteis.

Além do prazo de entrega ser menor (e melhor!), as remessas expressas são ideais para quem precisa de um cuidado adicional com as encomendas. Você paga a mais pelo frete, mas tem mais segurança no envio. Não só o cuidado com o transporte é maior como é ainda mais fácil fazer o rastreamento, já que é uma única empresa que cuida do transporte do início ao fim.

No caso de rastreamento dos pacotes enviados via serviço postal, é preciso ficar um pouco mais atento. Algumas empresas oferecem códigos de rastreio que funcionam no Brasil. Outras não. Mas sempre dá para contar com serviços online como o EBANX track que já é tem a opção completa em português.

A melhor forma de trazer suas importações da China

Seja qual for a maneira escolhida na hora de trazer as encomendas da China para o Brasil, é bom lembrar que você vai precisar se preocupar com algumas taxas sim. Aliás, é importante dizer: não existe nenhuma modalidade de frete em que você não pague taxas de importação.

É preciso recolher o Imposto de Importação (que chega no máximo a 60% do valor da mercadoria), o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, em alguns casos) e o serviço de desembaraço aduaneiro. Este último consiste na contratação de um despachante para cuidar da liberação da compra aqui no Brasil.

Nessas horas é legal contar com mais uma alternativa de frete super interessante para quem quer trazer compras de até 3 mil dólares da China. Os Correios têm um serviço muito bom chamado Importa Fácil, que concentra todo o trabalho de transporte + desembaraço aduaneiro em um só lugar.

O desembaraço pode ser feito pelos próprios Correios a um custo de R$ 250,00 por encomenda. É bom porque não há a necessidade de contratar gente de fora para cuidar do processo e agiliza um pouco mais o tempo de entrega da importação.

Se quiser saber mais sobre o Importa Fácil, dá uma olhada aqui.

Além da faixa dos 3.000 dólares, existe também a possibilidade de trazer encomendas de até 500 dólares para o Brasil. Funciona mais ou menos no mesmo estilo que a anterior: é preciso recolher o Imposto de Importação e, também, a taxa de despacho postal de 15 reais implementada pelos Correios em 2018 para todos os pacotes que vêm de fora.

Seja qual for o seu caso, busque sempre entender as variações de entrega da melhor forma possível antes de efetivar sua importação com o fornecedor. E, além disso, é bem importante também respeitar os limites de valores em cada uma das faixas. É só com esses cuidados tomados que você vai garantir a chegada dos seus produtos no Brasil sem problemas e aproveitar para ampliar a margem de lucro na hora da revenda.

Leave your comment

* *

Você também pode gostar