Facebook Icon Twitter icon Linkedin icon
Importadores

Importar da China: quais os riscos?

Enviar por email para ler depois

Trazer produtos da China para revender aqui no Brasil está se tornando cada vez mais fácil e prático. Para quem é microimportador, dá para comprar itens de qualidade com preços super baixos e ainda aumentar a margem de lucro na hora da venda. Mas mesmo com tantos benefícios aparentes assim, é bom tomar alguns cuidados para evitar dores de cabeça.

As empresas grandes, que importam em transações praticamente milionárias da China, têm uma consultoria muito boa de equipes responsáveis só pelo comércio exterior. Mas e para quem é pequeno e importa quantidades não tão absurdas? Como fazer?

A gente tomou a liberdade de fazer uma breve lista com algumas dicas para evitar riscos que você, microimportador, pode ter ao importar produtos da China. São 8 dicas para prestar atenção antes de fechar a compra. Se está em dúvida, não se preocupe. É só seguir essas recomendações para tornar sua experiência de importação ainda melhor, mais segura e confiável.

1. Escolha bem os fornecedores

A primeira etapa de uma importação, claro, é escolher bem de quem você vai comprar lá na China. Como microimportador, o melhor a fazer é contar com o apoio de plataformas para isso.

Um bom exemplo que a gente sempre costuma citar aqui é o Alibaba, um dos maiores ecommerces focados num formato B2B (empresas vendendo para empresas). Lá você encontra fabricantes chineses verificados pelo próprio site, que manda equipes de vistoria às sedes para conferir tudo.

Tem uma descrição detalhada de como escolher bons fornecedores da China antes de fechar uma compra. Não deixe de dar uma olhada aqui.

2. Vai revender? Importe com CNPJ

Para você poder revender produtos aqui no Brasil é preciso fazer isso como empresa, com um CNPJ. Pode ser até um MEI, mas é um passo extremamente importante e evita aquele risco de sua encomenda ser apreendida na entrada do país.

Isso porque se você estiver importando muita coisa, constantemente, apenas como pessoa física, pode rolar uma desconfiança da Receita e aí o problema é maior. Sua mercadoria pode ser retida e você ainda precisa pagar uma multa básica.

3. Qual é o valor da sua encomenda?

Isso interfere diretamente no processo de importação.

Compras de até 500 dólares podem ser enviadas sem a necessidade de contratar um despachante aduaneiro, responsável por realizar o desembaraço da encomenda. As únicas taxas, normalmente, são o Imposto de Importação (de no máximo 60%) e a taxa de remessa postal de R$ 15,00 por pacote (implementada como despacho postal agora, em 2018, pelos Correios).

Como estamos falando de microimportação para revenda no Brasil, a melhor alternativa é optar por serviços como o Importa Fácil dos Correios. Suas encomendas podem chegar até a 3.000 dólares (produtos + frete + seguro), os impostos basicamente continuam os mesmos e não há necessidade de registros no Siscomex – sistema do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços que regulamenta as transações.

Também já detalhamos essas diferenciações aqui. Se você respeitar essas dinâmicas, sua encomenda não corre o risco de ficar presa na alfândega também.

4. Cuidado com a conversão das moedas

Já falamos que o valor influencia na hora de a sua encomenda entrar no Brasil. Mas tem outro detalhe com relação ao preço que tem efeito direto no seu bolso: a conversão do valor da compra.

Como estamos trazendo produtos de outro país, é óbvio que o preço das mercadorias tem uma variação cambial padrão. Por isso é sempre bom ficar de olho e escolher uma opção de pagamento que não vai trazer surpresas no fim do mês.

Pagar com cartão de crédito é rápido (a compra é confirmada em questão de minutos) e prático. Mas dependendo da bandeira do seu cartão a variação cambial vai assustar na hora do fechamento do ciclo.

O Alibaba aceita cartão de crédito, claro, mas também é um dos únicos que fornece a emissão de boletos para as encomendas que você faz por lá. E tem outro detalhe: o boleto, ainda por cima, é emitido com o valor real final, já convertido. Pra quem é microimportador e tem orçamento apertado, nada melhor que saber exatamente quanto vai pagar.

5. Posso levar calote do fornecedor? Há alguma opção de reembolso?

Para responder esta pergunta podemos voltar à resposta número 1: é preciso escolher muito bem os fornecedores para evitar qualquer calote.

Assim como o Alibaba cuida de verificar os fabricantes que anunciam por lá, o site também oferece um mecanismo ideal para quem não quer arriscar e ficar no prejuízo. Praticamente TODAS as compras feitas no Alibaba, por meio das opções de pagamento oferecidas pela plataforma, entram na categoria Transação Garantida.

É um método de segurança nas transações que basicamente garante que sua encomenda será entregue. Se você tiver qualquer problema com a compra, é seu direito acionar o Alibaba e pedir o retorno do dinheiro.

A Transação Garantida assegura, inclusive, a qualidade da sua encomenda. Se por um acaso você achar que o produto que recebeu não tem qualidade suficiente, ou não bate com as descrições que o fornecedor fez, também dá para acionar o Alibaba.

Quer mais? Bom. As encomendas que você fizer no Alibaba pelo método Transação Garantida têm também uma proteção no caso de sua mercadoria se perder no transporte. Não é muito comum acontecer, mas vale contar com o apoio do Alibaba para essas ocasiões.

E o melhor de tudo é que não é preciso desembolsar nada mais pela Transação Garantida. Você simplesmente precisa efetivar as compras pelas opções que o Alibaba oferece na plataforma, que geralmente são cartão de crédito, boleto bancário e transferências bancárias.

Se por um acaso, na hora da negociação, o fabricante oferecer uma outra alternativa, é por sua conta e risco. Os pagamentos feitos fora do Alibaba não estão cobertos pela Transação Garantida.

6. Posso perder minha mercadoria na alfândega?

A resposta é: sim, pode! Mas fique tranquilo porque isso só acontece quando você faz alguma coisa errada no momento da compra e do processo de importação.

Mas o que pode sair de errado? A primeira coisa que você deve evitar é comprar produtos falsificados. Esse é um grande vilão das importações e, caso sua encomenda seja falsificada, ela ficará presa na alfândega e não será mais devolvida.

Fora isso, é sempre importante respeitar os impostos e taxas que sua encomenda deve recolher. Tudo isso, como a gente já disse nos itens acima, pode ser simplificado ao máximo quando suas transações não passam de 3 mil dólares.

Se você seguir todos os passos anteriores, perder a mercadoria na alfândega não vai ser problema.

7. A mercadoria vem com nota fiscal? Ela pode ser apreendida enquanto eu estiver revendendo?

É importante que você saiba: a nota fiscal não será emitida pelo fabricante chinês. Se você importou para revender pela sua empresa, quem deve emitir a nota fiscal daquele produto é a sua própria empresa, aqui no Brasil.

Ué! Como assim? Funciona assim: você vai emitir uma nota fiscal de entrada por importação no seu próprio sistema de faturamento, de emissão de nota fiscal.

Essa nota é emitida com base num outro documento: a declaração simplificada de importação, para aquelas importações abaixo de 3 mil dólares, que é gerada com as informações da Commercial Invoice – essa sim emitida pelo fornecedor lá da China.

Resumindo?

1) Você faz sua compra lá no Alibaba,

2) O fornecedor, depois de concluído o pagamento, emite a Commercial Invoice,

3) Com as informações do Commercial Invoice, sua empresa (com a ajuda de um despachante aduaneiro, ou na hora de contratar o Importa Fácil dos Correios, por exemplo) dá entrada na Declaração de Importação,

4) Com a DI feita, e os impostos devidos recolhidos, é possível emitir a nota fiscal de entrada por importação junto com o seu contador.

Com esses processos bem feitos, suas compras da China estarão legalizadas para ser revendida aqui no Brasil.

8. Dá para importar sem pagar imposto?

Não! Se você é MICROIMPORTADOR e quer trazer produtos da China para revender no Brasil de forma legal, sem ter problemas com a alfândega e Receita Federal, não tem como importar sem ser taxado. Algum imposto sempre será cobrado para que suas compras entrem no país legalmente e estejam autorizadas a serem revendidas.

Para entender mais sobre quais taxas pagar, além de ler os itens acima com calma, recomendamos a leitura deste post aqui que detalhe melhor as faixas de transações e respectivos impostos.

De qualquer maneira, é sempre bom repetir: planejamento e atenção andam de mãos dadas com quem importa da China. Anote essas dicas por aí e tenha mais tranquilidade na hora de fechar o próximo negócio da China!

Leave your comment

* *

Você também pode gostar