Conexões regionais

O cenário dos turistas latino-americanos no Brasil

Neste conteúdo especial, o LABS analisou o comportamento do principal grupo de turistas que veio ao país nos últimos anos: os latino-americanos.

Longe, "pero no mucho"

Labs - Aqui Hablamos Portuñol

Nestas férias, coloque o seu portunhol em dia

Uma das campanhas do Ministério do Turismo para a temporada de verão de 2019 é direcionada aos hermanos. Se por um lado os latino-americanos estão unidos pelo idioma - o espanhol - por outro, esses turistas divergem muito com relação aos hábitos e preferências quando viajam pelo Brasil.

Argentinos

Em novembro de 2018, o La Nación - um dos principais jornais da Argentina - publicou quatro reportagens sobre destinos turísticos no Brasil: um artigo sobre Fernando de Noronha; uma lista dos parques aquáticos do país; um especial sobre Lajedo Pai Mateus, na Paraíba; e, é claro, um guia com as melhores praias do Sul.

Segundo relatório da Embratur, é justamente a partir do mês de setembro que os argentinos começam a planejar e adquirir suas viagens de verão e, nesses meses, os destinos brasileiros voltam a ser assunto.

2,6 milhões


de argentinos vieram
ao Brasil em 2017

Ainda que rivais no futebol, o "Canarinho" e a "Albiceleste" mantêm uma boa e significativa relação quando se trata da economia do turismo em ambos os países. A proximidade e a busca por bons momentos entre a areia e o mar fazem com que a Argentina seja a principal emissora de viajantes para o Brasil.

Labs - Ícone

Foi um verdadeiro fenômeno.
As praias do sul encheram-se de camisetas da seleção argentina, Fernet Cola e mate.

Na época, o aumento de preços no Brasil foi menor que o da inflação na Argentina, fazendo com que a viagem se tornasse uma opção barata. Isso, somado ao segundo ano do fim da restrição de compra de dólar no vizinho, contribuiu para que 2017 fosse o período com mais turistas argentinos da história.

A proximidade também ajudou: 934 mil argentinos chegaram de ônibus ou carro pelo Rio Grande do Sul, rumo às praias do litoral sul do Brasil. A via terrestre também é a principal forma de chegar à Foz do Iguaçu, um dos cinco principais destinos dos hermanos.

Ainda que o gasto médio do turista argentino seja relativamente baixo, cerca de US$56,87 por dia, são eles que passam mais pernoites no Brasil e que mais alugam casas para a temporada. Além disso, 6 em cada 10 argentinos viajam para o Brasil em grupos, seja em família ou com os amigos.

Labs - Dados Argentina
Labs - Dados Argentina
Labs - Dados Argentina
Labs - Dados Argentina
Labs - Dados Argentina
Labs - Dados Argentina
Labs - Dados Argentina
Labs - Dados Argentina

Ao longo do ano de 2018, alguns hábitos de viagem sofreram mudanças. Segundo pesquisa da Kantar Millward Brown e Kantar TNS, dada a situação econômica, 68% dos argentinos mudarão seus planos de viagem. No entanto, 80% asseguraram que ajustarão o orçamento para garantir a viagem do ano. Dentre esses ajustes, os principais são:



  • 37% viajar menos vezes
  • 25% escolher um destino mais barato
  • 21% contratar opções de voos e hospedagens mais econômicos
  • 12% optar por métodos de pagamento mais flexíveis, como o parcelamento

O recorde batido em 2017 pode não ser novamente uma realidade em 2018, já que atualmente as condições econômicas são completamente diferentes. A desvalorização da moeda argentina e a retomada da inflação poderão influenciar esta época de veraneio. No entanto, chegar até as praias brasileiras continua sendo uma opção mais viável do que ir até o Caribe ou Miami, por exemplo.

Chilenos

Uma das nações mais estáveis e prósperas da América do Sul, o Chile se destaca por ter uma economia de rápido crescimento na região. Reflexo das melhorias econômicas é o aumento no número de turistas chilenos pelo mundo.

Diferente da Argentina, o Chile não faz fronteira com o Brasil.


A principal forma de acesso ao país é, portanto, pela via aérea, principalmente pelos aeroportos de São Paulo, responsável por 52% das chegadas em 2017. De acordo com levantamento feito pela Embratur, atualmente há 119 frequências semanais diretas saindo do Aeroporto Arturo M. Benitez, em Santiago do Chile, e chegando ao Brasil (86 para São Paulo e 33 para o Rio de Janeiro). Além desses, a partir de 15 de janeiro de 2019 serão lançados 3 novos voos que farão o trajeto direto entre Santiago do Chile e Porto Alegre.

Labs - Ícone

Além do segmento de negócios, os turistas chilenos destacam-se com relação aos gastos no Brasil.

Dentre os latino-americanos, são os que possuem maior gasto diário no país, cerca de US$75,71.

Labs - Dados Chile
Labs - Dados Chile
Labs - Dados Chile
Labs - Dados Chile
Labs - Dados Chile
Labs - Dados Chile
Labs - Dados Chile
Labs - Dados Chile

Paraguaios

O país que faz fronteira com o Mato Grosso do Sul e o Paraná vem se destacando no cenário econômico regional. Com um crescimento médio de 5,8%, o Paraguai é um dos líderes do bom desempenho econômico na América Latina, indo na direção contrária de outros países importantes. Nos últimos anos, a economia cresceu em média 4,5%, mais rápido que a maioria de seus vizinhos.

Os paraguaios veem no Brasil a possibilidade mais próxima de explorar praias agradáveis durante todo o ano

Motivados pelas paisagens litorâneas, os turistas vindos do Paraguai também preferem visitar o Brasil na temporada de verão. Com o tererê sempre em mãos, os paraguaios movimentam as rodovias que ligam o país ao litoral catarinense e paranaense - principais destinos desses turistas, junto com Foz do Iguaçu, é claro.

Labs - Dados Paraguai
Labs - Dados Paraguai
Labs - Dados Paraguai
Labs - Dados Paraguai
Labs - Dados Paraguai
Labs - Dados Paraguai
Labs - Dados Paraguai
Labs - Dados Paraguai

Uruguaios

Por sua estabilidade política e econômica, o Uruguai já foi considerado a "Suíça da América do Sul". Segundo o World Bank, atualmente o país é destaque na América Latina por contar com uma sociedade igualitária e a maior classe média da região. Essas qualidades ficam ainda mais evidentes quando se trata dos números do turismo emissivo.

A semana do turismo no Uruguai


Em março, os uruguaios podem aproveitar a Semana do Turismo, sete dias de feriado que corresponde à Semana Santa. Nesse período, eles também aproveitam para curtir as praias do Sul do Brasil.

Labs - Dados Uruguai
Labs - Dados Uruguai
Labs - Dados Uruguai
Labs - Dados Uruguai
Labs - Dados Uruguai
Labs - Dados Uruguai
Labs - Dados Uruguai
Labs - Dados Uruguai

Colômbia, Bolívia, Peru e México

Aos poucos, os habitantes desses quatro países estão aumentando as vindas ao Brasil. Juntos, em 2017 eles representaram 7% do total de chegadas.

A principal forma de acesso ao país é por via aérea através dos aeroportos de São Paulo (57% das chegadas em 2017) e Rio de Janeiro (24%).

Labs - Dados Colômbia
Labs - Dados Colômbia
Labs - Dados Colômbia
Labs - Dados Colômbia
Labs - Dados Colômbia
Labs - Dados Colômbia
Labs - Dados Colômbia
Labs - Dados Colômbia

126 mil turistas bolivianos no Brasil em 2017. 38% desses turistas chegaram ao país por via terrestre, pelo Mato Grosso do Sul; 45% chegaram por via aérea, pelo estado de São Paulo.

O Brasil registrou crescimento de 42% no número de turistas bolivianos de 2010 a 2017. As perspectivas para os próximos anos são promissoras, porém um dos desafios é a conectividade: atualmente, a chegada por via aérea é limitada, já que as opções de voos diretos têm apenas São Paulo ou Cuiabá como destino.

Labs - Dados Bolívia
Labs - Dados Bolívia
Labs - Dados Bolívia
Labs - Dados Bolívia
Labs - Dados Bolívia
Labs - Dados Bolívia
Labs - Dados Bolívia
Labs - Dados Bolívia
Labs - Dados Peru
Labs - Dados Peru
Labs - Dados Peru
Labs - Dados Peru
Labs - Dados Peru
Labs - Dados Peru
Labs - Dados Peru
Labs - Dados Peru
Labs - Dados México
Labs - Dados México
Labs - Dados México
Labs - Dados México
Labs - Dados México
Labs - Dados México
Labs - Dados México
Labs - Dados México



Rompendo

fronteiras

O turismo é capaz de difundir a cultura de um país, mudar estereótipos, promover cidades em crescimento e impulsionar a economia.

O Brasil, país com um litoral de 7.5 km2 e a maior biodiversidade do mundo possui um potencial inerente. Não há dúvidas de que ao incrementar os diversos destinos do país para a demanda turística, nos próximos anos os indicadores econômicos da atividade serão ainda mais expressivos. E incrementar os destinos e a oferta turística implica em conhecer bem o público: de onde vem, como se informam, como compram a viagem, dentre outras informações relevantes.

Comportando-se de maneiras distintas e com diferentes hábitos e preferências diferentes, a chegada dos turistas latino-americanos ao Brasil indica uma série de oportunidades para quem opera - ou pode passar a operar - nesse setor. Pode-se investir em novas atrações sazonais naqueles lugares que já recebem muitos turistas, como é o caso de Florianópolis para os Argentinos. Ou, dada a situação econômica da Argentina, incrementar pacotes familiares, personalizados e mais econômicos, oferecendo diferentes formas de pagamento.

A tendência das bleisure trips - opção que combina viagens corporativas com o lazer - pode ser uma oportunidade a ser explorada pensando nos chilenos que vem ao Brasil à negócios, já que costumam passar cerca de uma semana no destino e gastar em média US$116 por dia.

1,7 milhões de viajantes uruguaios saíram do país em 2017. Desses, 328 mil vieram ao Brasil. O que poderia ser feito para o país atrair mais turistas dessa região - já que há muito potencial a ser explorado? Uma vez que os uruguaios já conhecem as praias do Sul do país, quais seriam as alternativas para promover também outras experiências culturais ou outros segmentos turísticos?

As fronteiras a serem rompidas não são apenas físicas: articular melhor o on e o off no processo de compra e aproveitar o uso da internet - principal fonte de informações sobre os destinos - para consolidar a venda da viagem e das experiências, também aparece como uma oportunidade de crescimento.

Mais do que romper fronteiras, estreitar laços. A importância do mercado latino-americano para o turismo brasileiro vem se provando inquestionável, e isso indica um trajeto cada vez mais claro: as possibilidades estão mais perto do que se imagina



Para continuar lendo, cadastre-se agora.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Cadastre-se com


Ou assine abaixo