Facebook Icon Twitter icon Linkedin icon
Ecommerce

Mercado Livre ultrapassa Twitter em valor de mercado segundo ranking

Da Argentina, Mercado Livre tem mais de 270 milhões de usuários e 12 milhões de vendedores em 18 países da América Latina.

Enviar por e-mail
Stelleo Tolda, COO do Mercado Livre REUTERS/Nacho Doce
  • Mercado Livre supera Twitter e é agora a primeira empresa latino-americana a figurar entre as 30 maiores empresas de tecnologia do mundo em termos de valor de mercado
  • Segundo relatório, o valor do Mercado Livre chegou a US$ 30 bilhões na semana passada, enquanto o do Twitter foi de US$ 29 bilhões.
  • Segundo a Reuters, o valor do grupo de ecommerce e serviços financeiros aumentou em 113% – contra 30,4% da rede social.

Pela primeira vez, a América Latina está entre as 30 maiores empresas de tecnologia do mundo – graças ao grupo de comércio eletrônico e serviços financeiros Mercado Livre.

Os dados são da última edição do relatório setorial Mary Meeker Internet Trends 2019. Entre as 30 principais empresas do ranking, dezoito tem sede nos EUA e sete são chinesas. Japão, Canadá, Austrália e Suécia também aparecem no relatório, cada um com uma empresa.

O top 4 é liderado por gigantes já conhecidos: Microsoft, com US$ 1 trilhão, seguido pela Amazon (US$ 888 bi), Apple (US$ 875 bi) e Alphabet (US$ 741 bi).

Segundo o relatório, o Mercado Livre atingiu US$ 30 bilhões em valor de mercado na semana passada, enquanto o Twitter foi avaliado em US$ 29 bilhões.

Fundado na Argentina em 1999, o Mercado Livre tem mais de 270 milhões de usuários e 12 milhões de vendedores em 18 países da América Latina. Em 2019, o grupo apostou em seu empreendimento de serviços financeiros, o Mercado Pago, para liderar a expansão dos negócios em seu principal mercado, o Brasil.

A empresa tem o desafio de melhorar a experiência de compras online e “garantir que a América Latina se aproxime do patamar alcançado por outros mercados, como os EUA, onde o comércio eletrônico representa 12% e a China – onde já chega a 20% do varejo“. comentou Stelleo Tolda, COO do Mercado Livre para a Reuters.

No início desta semana, a empresa argentina já anunciou investimentos intensivos em logística na América Latina, abrindo três novos centros de distribuição na Argentina, Brasil e México para reduzir os prazos de entrega e se tornar ainda mais competitivo.

Você também pode gostar