Rosario Marin, ex-tesoureira dos Estados Unidos e "O poder dos latinos"
Sociedade

Rosario Marin, ex-tesoureira dos Estados Unidos e "O poder dos latinos" em novos tempos

Em entrevista ao LABS, a mexicana Rosario Marin, ex-tesoureira dos EUA, falou sobre desafios e oportunidades para a América Latina - e para os latino-americanos

“Tive o prazer e o privilégio de estar em posições que me permitiram ver as coisas não como de fato são, mas como poderiam vir a ser”. Com um discurso inspirador, Rosario Marin, nascida no México e ex-tesoureira dos Estados Unidos, subiu ao palco do evento Latam Cross-border Summit para falar sobre “O poder dos latinos”.

Em entrevista ao LABS durante o evento realizado de 23 a 26 de setembro no Rio de Janeiro, Rosario relembrou seu início de vida e carreira, os desafios de ser a primeira e única estrangeira a ocupar o cargo de tesoureira dos EUA, além de dividir suas opiniões sobre o que pensa do momento vigente da América Latina.

“Tive a grande sorte de ser a primeira em muitas coisas”, disse ela, em um visumbre de como sua vida e carreira poderiam se resumir. “A primeira latina, a primeira mulher, a primeira imigrante, a primeira mãe com um filho deficiente, a primeira da minha família a se formar na universidade”. Listada pela Forbes em 2014 como uma das mulheres mais poderosas do México, Rosario atuou como 41ª tesoureira dos Estados Unidos de 2001 a 2003 e, entre outros marcos em sua trajetória, dedicou sua vida a educar jovens sobre estabilidade financeira e defender causas como deficiência mental. 

Ora referindo-se à sua jornada e ora à sua visão sobre o potencial da América Latina – o discurso de Rosario produziu um efeito empoderador. “Não existem obstáculos maiores do que aqueles que nós mesmos nos impomos”. Ao ocupar o cargo de tesoureira na época dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, ela lembra: “Foram tempos difíceis. A vida nos coloca em situações tormentosas. Me colocou em muitas situações difíceis – mas no no final do dia, a decisão é sua. Aprenda a respirar profundamente, resistir, lutar e seguir em frente”.

Somos maiores do que o que está à nossa frente.

Rosario Marin, ex-tesoureira dos Estados Unidos

Como uma mulher latina em um cargo de tamanha importância, ela destacou o valor de ser corajosa e autoconfiante, especialmente em situações adversas. “Houve pessoas que tentaram me derrubar, tentaram não me dar chances – mas eu não me importei. Acho muito importante que nós, como mulheres, nos arrisquemos e sigamos adiante. Eu fui a primeira mulher em uma cidade onde sempre houve homens, a primeira latina a ser secretária da Agência Estadual e de Serviços ao Consumidor da Califórnia. Hoje não tenho medo. Tenho tudo o que preciso para enfrentar as circunstâncias.”

O divisor de águas para a América Latina

Em relação à economia latino-americana, Rosario se mostrou bastante positiva sobre o momento e o potencial da região, destacando dados como o crescimento do e-commerce, indicador que posiciona a América Latina como líder global no setor. “A Argentina possui 93% da população com acesso à Internet e o Brasil, 75%. Embora a Ásia tenha um PIB mais alto, a América Latina está crescendo mais rapidamente”, destacou.

Eu diria que a América Latina está aberta para negócios.

Rosario Marin, ex-tesoureira dos Estados Unidos

Mas certamente não sem desafios: embora o número de usuários de Internet esteja crescendo, o acesso às plataformas digitais ainda é um problema, segundo ela. No entanto, é esse cenário específico que abre espaço para mudanças – e para crescimento. A chave? Tecnologia.

“Há grandes coisas que a tecnologia está facilitando. Facilitou o mundo para todos. Uma transação online, por exemplo, é tão rápida para você quanto para mim, não importa se você é rico ou pobre, a transação levará o mesmo tempo. A tecnologia não discrimina”.

Para ela, o momento que a América Latina vive, com o poder da transformação digital e uma onda crescente de novas soluções provenientes da economia digital é um marco – e está atuando como um equalizador para a sociedade, dando acesso a pessoas nos mais remotos lugares.

Quando a palavra acesso surgiu na conversa, Rosario destacou a importância do momento da América Latina em termos de inclusão financeira. “O setor de serviços financeiros está atraindo mais atenção do que qualquer outro da América Latina”, destacou. Atualmente, a região possui uma grande parte da população que ainda é desbancarizada – e o aumento de fintechs e novas soluções estão em alta.

LEIA MAIS: “Não há bala de prata, uma única solução em que apostamos”, diz country manager da Visa sobre futuro dos pagamentos

A perspectiva de Rosario sobre o setor financeiro da América Latina está altamente ligada com sua percepção da máxima desafios X oportunidades. “Onde há pessoas que vêem problemas, outras vêem oportunidades. E com essas oportunidades surgem grandes desafios”.

Oriunda de uma família pobre no México e chegando aos EUA para, anos depois, se tornar a primeira e única mulher latina a ocupar o cargo de tesoureira, Rosario Marin tinha muito o que compartilhar quanto a grandes desafios. “Se meu filho não tivesse nascido com deficiência, se eu não tivesse perdido um bebê, não teria chegado aqui. As coisas acontecem como deveriam – às vezes a vida dá lições muito caras, e precisamos aprender com elas. Afinal, no fim do dia, a decisão é sua”.

Rosario trouxe seu inspirador discurso para o Latam Cross-border Summit, evento focado em pagamentos promovido pela fintech brasileira EBANX e realizado no Rio de Janeiro. Com mais de 200 participantes, entre empresas e entidades especializadas como AMI, Visa, Mastercard, DHGate e Amazon; o evento ocorreu de 23 a 26 de setembro.